Central e Náutico empatam no primeiro duelo da final do Pernambucano

O técnico Roberto Fernandes incorporou a mística do ”dia da mentira” e entregou uma escalação com quatro titulares absolutos da equipe no banco de reserva

Foto: Cido Vieira
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No ”primeiro tempo” da decisão no Campeonato Pernambucano, Central e Náutico não saíram do zero neste domingo (1), no estádio Lacerdão totalmente lotado, e a definição do título ficou aberta para o confronto do próximo domingo na Arena Pernambuco, como não há critério de gol qualificado, caso a partida termine novamente empatada a disputa vai para as penalidades.

O técnico Roberto Fernandes incorporou a mística do ”dia da mentira” e entregou uma escalação com quatro titulares absolutos da equipe no banco de reserva, no entanto, o blefe logo veio à tona quando o Timbu entrou para o início da partida. Quando questionado o comandante alvirrubro alegou ter mudado de opinião no aquecimento. Entre os escalados na reserva estavam o Wallace Pernambucano, Rafael Assis e o atacante Ortigão, artilheiro da equipe.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O jogo no Lacerdão

Apesar de ter mais posse de bola, o Central até rondou a área do Náutico durante toda a partida, no entanto, faltou inspiração maior de seus atacantes para empurrar a bola para as redes.

Por sua vez, o Náutico buscava os contragolpes para surpreender, em um dos lances de maior perigo dos visitantes, o goleiro França conseguiu evitar alvirrubro.

Na volta do intervalo, o jogo ficou ainda mais truncado e com poucas emoções. A Patativa teve boas chances em diversas cobranças de falta, mas o pé dos principais jogadores não estava muito calibrado. O Náutico só chegou claramente aos 14 minutos, num chute de Ortigoza. Mas novamente o goleiro França salvou a equipe alvinegra. Nada de gols no Lacerdão, e a definição ficou para o próximo domingo.

DESTAQUE

Público: 14.080
Renda: R$ 398.980,00

 

Comentários

PUBLICIDADE