Funcionários dos Correios decidem manter greve

Foto: Gustavo Glória / Folha de Pernambuco
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os funcionários dos Correios em Pernambuco permanecem em greve. A decisão pela continuidade foi tomada em assembleia no Centro do Recife na noite desta segunda-feira (12), dia de início da paralisação.

A greve é motivada pelas mudanças no plano de saúde dos trabalhadores, que foi julgado pela Seção de Dissídios Coletivos (SDC) do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e deu apoio à estatal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A alteração definida pela gestão da estatal diz que os trabalhadores vão arcar com 30% do plano em forma de mensalidade, de acordo com os critérios de faixa salarial e idade, e cobrança dos beneficiários. Atualmente os custos com o plano de saúde são de 93% para a estatal, enquanto o restante é custeado pelos funcionários, para cobertura do trabalhador e de seus dependentes. A assistência bancada pela empresa supera os R$ 12 mil por funcionário e custa R$ 1,8 bilhão por ano aos cofres, correspondendo a 10% do faturamento.

Nas regras atuais, o plano abrange, além do funcionário, cônjuge, filhos, pais e mães, sem o pagamento da mensalidade para ter direito à cobertura. Uma proposta apresentada no ano passado pelo TST previa a criação de uma cobrança mensal de 5,21% a 7,82% da remuneração bruta, a depender do salário ou aposentadoria. A proposta do Tribunal pretende elevar a coparticipação para de 15% a 30%.

Comentários

PUBLICIDADE